The Tender Bar (Bar Doce Lar) : final explicado

The Tender Bar: final explicado

‘The Tender Bar’ (Bar Doce Lar) é uma história comovente sobre o amadurecimento que acompanha JR enquanto ele cresce na casa de seu avô. Criado por uma mãe solteira e regularmente desapontado por um pai ausente conhecido apenas como “The voice”, JR sonha em se tornar um escritor, mas não acredita muito que o fará.

Sua mãe quer que ele seja advogado, enquanto seu tio Charlie, que dirige o bar homônimo do filme, é tudo sobre o que é preciso para ser um homem (o que inclui ter um carro e sempre ter “stashies” na carteira). A jornada improvável de JR de se tornar um escritor é cheia de calor e nostalgia. Vamos dar uma olhada em ‘The Tender Bar’ e ver onde nosso herói vai parar. SPOILERS ADIANTE.

The Tender Bar Sinopse

O filme começa com um jovem JR e sua mãe se mudando para a casa de seu avô depois de não conseguirem pagar o aluguel. A casa está constantemente agitada com a família, e JR cresce aprendendo muitas das lições de vida de seu tio Charlie, ríspido, mas atencioso. O menino se apóia em seu pai, que se muda de um lugar para outro como radialista.

The Voice” (a voz), como o pai é chamado, é regularmente maltratado na casa do avô de JR, mas isso não impede o menino de tentar ouvir os programas de seu pai no rádio sempre que pode. Após duas interações curtas e decepcionantes, no entanto, fica claro que o pai ausente se preocupa muito pouco com o filho.

Tio Charlie apresenta os livros a JR, e o menino se encanta com eles. Em breve, ele impressiona os clientes no bar de seu tio (The Dickens) resolvendo sem esforço o Wordy Gurdy do jornal local. Por meio de cenas, vemos um adolescente JR viajando para Yale para uma entrevista de admissão. Ele fala com um padre no caminho, sugerindo como ele acha que não vai entrar.

Eventualmente, JR é aceito em Yale e ainda consegue uma bolsa de estudos. Ele se apaixona por Sidney durante seu primeiro ano na faculdade, mas é dispensado sem cerimônia logo após chegar à sua opulenta mansão para o Natal.

Ao longo da faculdade, JR permanece apaixonado por Sidney, que repetidamente termina com ele dizendo que está saindo com outra pessoa. Em seu último ano de faculdade, durante uma de suas muitas separações, ela diz a JR para pensar em se inscrever no The New York Times.

O final de The Tender Bar (Bar Doce Lar) : JR escreve uma memória? Ele sai da casa do avô?

JR é aceito no The New York Times como estagiário, mas precisa sair quando não for promovido a repórter em tempo integral. Convencido de que quer escrever um romance e informado (repetidamente) que as memórias estão na moda, JR passa os dias no bar de seu tio, digitando e bebendo sem parar. Por fim, a necessidade de ver o pai atrai o jovem a uma lanchonete onde os dois se encontram.

O reencontro é desagradável e termina com JR chamando a polícia de seu pai depois que este se torna violento em um estupor alcoólico. De volta ao The Dickens, JR informa ao tio Charlie que ele está se mudando para Manhattan com um amigo de Yale. O filme termina com nosso herói indo embora em seu carro recém-adquirido, um presente do tio Charlie, pensando em suas memórias.

Embora vejamos apenas o início da (provavelmente) florescente carreira de escritor de JR, temos algumas dicas que nos dizem que ele, de fato, escreve suas memórias. Mais notavelmente, the voice off intermitente no filme narra o conto como um livro de memórias e menciona na cena final que ele (JR) tem sorte que as memórias estão em voga no momento. Assim, o grande segredo aberto do filme é que JR escreve suas memórias e está essencialmente narrando para o público como ele começou a escrevê-las.

Outro arco de história que termina nos momentos finais do filme é a história de amadurecimento de JR. Tendo se mudado para a casa de seu avô quando criança, ele finalmente se muda para viver por conta própria. Ele também parece ter marcado todas as caixas nos requisitos do tio Charlie de “ser um homem”, com o último item faltando, um carro, amorosamente fornecido pelo próprio tio.

JR e seu pai se reconciliam? Por que o pai de JR é chamado “the voice”?

Durante grande parte de sua infância, JR se apega a uma imagem enigmática de seu pai. Apesar de ter sido repetidamente marginalizado, mesmo quando adolescente, o protagonista tenta se reconectar com The Voice. Os momentos finais do filme amarram seus principais arcos de história de maneiras sutis, mas satisfatórias, e o confronto final de JR com seu pai parece ser um grande avanço para o primeiro (algo que seu pai, ironicamente, aponta em seu estado de embriaguez).

Ao vê-lo bater em uma mulher, JR percebe que seu pai é irredimível e o prende. Assim, JR e seu pai não se reconciliam, mas o primeiro parece ter deixado de tentar se reconectar com o último. Logo após o incidente, JR menciona que não tem pai, deixando claros seus sentimentos sobre o assunto.

O pai de JR é simplesmente conhecido como “The Voice” (a voz), o que decorre de seu trabalho como jóquei de rádio e do fato de que JR mal viu o homem e principalmente o conhece por sua voz. No entanto, o título também tem uma inclinação metafórica e pode se referir à voz sombria que JR carrega dentro de si.

Além de ser atormentado por dúvidas sobre si mesmo e medo de não ser bom o suficiente, JR também está perto do alcoolismo e é salvo por alguns conselhos oportunos do tio Charlie. Embora o filme termine com JR querendo acreditar que ele não tem um pai, há um tom mais sombrio de nosso herói percebendo que ele sempre terá os traços sombrios de seu pai (“a voz”) dentro dele.

Leia também: